KPIs, contabilidade e gestão financeira para startups: entenda a relação

KPIs, contabilidade e gestão financeira para startups: entenda a relação

Os KPIs – Key Performance Indicators ou em português, Indicadores Chave de Desempenho, são métricas que auxiliam o gestor a identificar a saúde do negócio, inclusive na contabilidade e gestão financeira para startups. Existem KPIs essenciais para startups, que auxiliam o empreendedor a identificar o rumo que a empresa está tomando e se necessário, definir novas estratégias com base nesses dados.

Segundo a revista Exame a gestão dos indicadores de desempenho pode ser direcionada para o monitoramento da evolução dos resultados da empresa e servir como referência para o processo de tomada de decisão e a criação de estratégias de melhoria.

Confira nesse post as principais vantagens de adotar KPIs na sua empresa, quais são os principais KPIs que toda startup deve adotar e como calculá-los de maneira prática e assim, ter informações valiosas sobre o seu negócio.

 

Confira alguns dos principais KPIs para startups:

Existem alguns indicadores que são mais indicados para startups do que para empresas tradicionais. Confira agora quais são eles e como calculá-los de maneira prática e simples.

 

1) Burn Rate ou Taxa de Queima de Caixa

Este indicador representa a quantidade de dinheiro que uma empresa consome em determinado período para manter suas operações funcionando. O Burn Rate é variável, pois sofre mudanças com atrasos nas receitas, despesas inesperadas ou um aumento repentino nas receitas. Então, é aconselhável que ele seja calculado com certa frequência.

Essa métrica é muito importante, pois ela é capaz de prever a possibilidade de sua startup entrar no vermelho e isso permite que você tome medidas corretivas antes que realmente aconteça.

Ele pode ser calculado de forma bem simples. Veja por exemplo como você poderia calcular o Burn Rate mensal de sua startup:

 

Burn Rate mensal = Saldo inicial – Saldo final (caixa e bancos)

             Número de meses do período


2) Taxa de crescimento de receita

Esse indicador é importante para o gestor de startup porque ele mostra a eficiência da área de vendas da empresa, ou seja, determina o quanto a empresa é boa ou não em gerar vendas de seus produtos e serviços. O acompanhamento deste KPI certamente impacta na contabilidade e gestão financeira para startups, então, vale a pena ficar de olho!

Esse indicador também pode ser calculado de uma forma simples utilizando qualquer período e o resultado corresponderá a taxa de crescimento da receita deste período. A fórmula para cálculo é feita em três passos.

  • Passo 1: a receita do período 2 menos a receita do período 1.
  • Passo 2: o resultado do passo 1 dividido pela receita do período 1.
  • Passo 3: o resultado do passo 2 multiplicado por 100.

Por exemplo: uma startup em julho de 2016 tinha como receita do exercício dos últimos doze meses R$ 100 mil. Já em julho de 2017 sua receita do exercício dos últimos doze meses corresponde a R$ 130 mil, com isso temos:

  • Passo 1: 130 mil menos 100 mil = 30 mil
  • Passo 2: 30 mil dividido por 100 mil = 0,3
  • Passo 3: 0,3 multiplicado por 100 =  30%

Nesse caso a taxa de crescimento no exercício dos últimos doze meses dessa startup foi de 30% ao ano.

 

3) Custo para Aquisição de Clientes (CAC)

Este indicador determina a eficiência dos seus esforços em vendas, marketing, entre outros, e mostra quanto você precisa gastar  para adquirir um novo cliente. Esse indicador é importante para demonstrar claramente o quanto de esforço financeiro foi feito por sua startup para conquistar consumidores e caso você perceba que o valor está alto, pode rever suas estratégias e otimizar seus gastos.

O CAC pode ser calculado pela seguinte fórmula:   

CAC = Total de investimentos da campanha

     Total de clientes conquistados

Ex: R$ 5 mil de investimento em uma campanha no Instagram dividido por 7.890 novos clientes adquiridos por meio desta campanha corresponde a um CAC de R$0,64 por cliente.

 

4) Customer Lifetime Value (CLV)

Esse indicador representa a média do valor monetário líquido captado pela sua startup durante a vida estimada do relacionamento entre a sua empresa e o cliente. Ou seja, quanto o seu cliente costuma gastar em média durante o período de tempo em que ele se relaciona com sua empresa. Ele é muito importante para ajudar o gestor a definir se seus clientes estão dando lucro ou não ao aplicar a fórmula CLV dividido pelo CAC.

Para calcular o CLV basta determinar um período e aplicar a fórmula:

CLV = ticket médio do período dos seus clientes multiplicado  pelo ciclo total de vida dos seus clientes

Sabendo que o ticket médio de um cliente é o resultado de somar o valor de todas as vendas realizada em determinado período dividida pela quantidade de transações que o cliente realizou. E que o ciclo de vida do cliente é o tempo que seus clientes costumam permanecer se relacionando com sua empresa e pode ser encontrado pela fórmula 1 dividido pela taxa de Churn.

Por exemplo: determinada startup apresenta um ticket médio mensal de R$ 75 logo isso será R$ 900 ao ano. O ciclo de vida do cliente costuma ser de 2 anos em média. Jogando isso na fórmula fica: CLV =  R$ 900 x  2  = R$ 1.800. Ou seja o cliente gastará nessa startup um total de R$ 1.800 durante o período de 2 anos ou R$ 900 por ano.


5) Churn – Perda e Turn Over de Clientes

Esse indicador representa a porcentagem de clientes que deixaram de ser ativos em uma empresa em um determinado período de tempo. Ou seja, ele indica quantos clientes que sua startup perdeu, quantos consumidores deixaram de comprar os produtos e serviços de sua empresa. Ele é essencial para o gestor verificar se necessitam ser implantadas melhorias para que os clientes permaneçam ativos no negócio.

Para calcular o churn basta definir um período e aplicar a fórmula: quantidade de clientes que desistiram durante o período dividido quantidade de clientes que permaneceram no final do período e o resultado disso, multiplicado por 100.

Por exemplo: determinada startup teve um desistência de 50 assinantes de seus serviços durante o ano de 2016 ficando com um total de mil assinantes no final do ano. Desta forma o churn dessa empresa é (50 dividido por mil) multiplicado por 100 = 5% ao ano.


6) Margem de lucro bruta

Esse indicador representa a receita deixada após a dedução do seu custo de produção e inclui todas as despesas diretas necessárias para criar um produto ou serviço (como o custo da matéria-prima, da eletricidade e o custo do trabalho em si).

Ao utilizar esse indicador, o gestor é capaz de saber quais são os produtos ou serviços mais lucrativos e definir mais precisamente suas estratégias de vendas.

Para calcular a margem de lucro bruta basta determinar um produto ou serviço e aplicar a fórmula: lucro bruto do período dividido pela receita total do período e multiplicar o resultado por 100.

Por exemplo: uma startup teve um lucro bruto de R$ 2 mil e uma receita total de R$ 5 mil com as vendas de seu software. Desta forma sua margem de lucro bruta é (2 mil dividido por 5 mil) multiplicado por 100 = 40% para aquele software.

Ficou claro que os KPIs são essenciais quando se trata de contabilidade e gestão financeira para startups. Eles são capazes de prever possíveis quebras financeiras, de orientar a venda dos produtos e serviços mais lucrativos, ajuda na tomada de decisões sobre as estratégias de aquisição e de fidelidade de clientes, entre outros.

Agora que você conhece a importância de trabalhar com KPIs para uma melhor gestão da sua startup, conte com a ajuda dos contadores especialistas da NTW para manter esses índices positivos na sua empresa e assim, gerar crescimento e garantir uma vida longa para o seu negócio.

 

rodape-artigos-2

2018-12-28T16:50:58+00:00Por |

Sobre o Autor: