Passo a passo do planejamento da contabilidade na construção civil

Passo a passo do planejamento da contabilidade na construção civil

Sabe qual diferença faz dominar a contabilidade na construção civil? Toda, se estiver nos planos da construtora a sobrevivência e o crescimento no mercado. Então, se o que você espera do seu negócio é solidez, amadurecer a gestão contábil é o melhor caminho.

Mas como começar a elevar o nível da contabilidade na construtora?

É preciso seguir uma metodologia contábil clara. A contabilidade consultiva, ofertada pela NTW pode ajudar a construtora a dominar todo esse processo, que pode ser tão simples quanto um passo a passo, se feito com o apoio de especialistas experientes.

Se você ainda estiver em dúvida sobre investir ou não na contabilidade consultiva, entenda alguns pontos em que ela é crucial para a construtora. Especialistas em contabilidade podem ajudar a:

  •   apurar o resultado por obra
  •   conseguir cartas de financiamento
  •   organizar as retiradas entre sócios
  •   garantir a sobrevivência do negócio

Quanto tempo uma obra passa no vermelho até gerar lucro? Você sabe que é a maior parte do cronograma e que os frutos da construção civil levam várias estações para florescer. É por isso que a contabilidade pode ser a grande incentivadora para a continuidade e a melhor conselheira diante das mudanças que acontecem no mercado. Se você focar somente em gestão financeira, pode se deixar levar pela desmotivação ou até mesmo gastar além da conta.

Compreenda agora os cinco passos da metodologia que leva ao controle total da contabilidade da construtora!

 

#1 Ponta pé da obra: orçamento e memorial descritivo

Conhece aquela velha máxima: “começar com o pé direito”?

Aqui, na construção civil, ela tem tudo a ver com dois principais documentos orientadores: o orçamento e o memorial descritivo.

Faz parte do universo contábil projetar os ganhos, de modo a trabalhar com margens de segurança que não comprometam o resultado financeiro. É esse um dos segredos de um bom planejamento tributário. Afinal, a projeção do faturamento e do lucro ajudam a definir as alíquotas mais interessantes para o seu negócio.

Realizado o planejamento se faz necessária uma postura combativa, por meio de uma rotina contábil desenvolvida para estabelecer limites no fluxo de caixa, considerando a movimentação de cada obra.

Para respaldar esses limites e garantir acesso ao crédito e a tributações mais vantajosas, o memorial descritivo é um documento fundamental. Isso porque ele detalha a metodologia da obra, do estilo de construção ao tipo de acabamento, entrando em pormenores como melhorias do terreno e questões de desenvolvimento da sustentabilidade.

O memorial permite gerir melhor os custos da obra e justificar reajustes. Ao mesmo tempo, gera mais segurança junto aos clientes, garantindo que nada além do combinado será exigido na entrega do imóvel.

 

#2 Estabeleça o tipo de tributação

Uma das preocupações que surgem a partir dos primeiros passos de cada obra diz respeito a garantir a elisão fiscal, ou seja, a manter a obra em conformidade com o Fisco ­– sem sonegação –, mas buscando vantagens legais para a construtora.

Como toda empresa, uma construtora pode optar por um dos principais perfis tributários: pelo Lucro Real ou pelo Presumido, além do Simples Nacional ou Supersimples, este último mais recente no setor da construção civil. Nem sempre o Simples, que reúne em apenas um recolhimento todos os tributos (inclusive os trabalhistas) tem se mostrado a melhor escolha.

A Pini, especialista em informação e atualização profissional na construção, argumenta que “em se tratando de um setor cuja atividade é complexa, o Simples não veio trazer grandes vantagens tributárias e acabou sendo utilizado de forma indiscriminada”. O que chegou a gerar problemas na emissão de CNDs (Certidão Negativa de Débitos). O Simples foi uma opção muito presente nas escolhas das Pequenas e Médias Empresas (PMEs).

Mas você sabia que existe um perfil especial para a construção?

O Regime Especial de Tributação (RET), transforma em patrimônio de afetação a obra que a sua construtora escolher. Isso significa que aquela obra não poderá ser usada futuramente para quitar débitos em casos de abertura de falência. Para o governo é uma opção interessante, pois são garantidos os recolhimentos de impostos.

Alíquotas de cada perfil tributário:

  • Lucro real: 15% sobre o lucro real
  • Lucro presumido: 15% sobre o lucro presumido
  • Simples: Pagamento em uma única parcela mensal de todos os impostos (IRPJ, IPI, CSLL, COFINS, PIS, INSS, ICMS e ISS), respeitando-se as categorias de microempresa (receita bruta de até 360 mil anual) e PME (receita bruta de até 3.6 milhões anuais), com uso de alíquotas presentes nas tabelas III ou IV, entre 4,5 e 17%, conforme renda bruta.
  • RET: pode variar entre 4 e 6% do faturamento mensal.

Mas qual desses perfis é o melhor para sua empresa? Descubra com a contabilidade consultiva da NTW, pois não existe receita pronta na contabilidade, muito menos na construção civil!

 

#3 Planeje a escrituração contábil

Para uma construtora é muito mais fácil lidar com esses primeiros passos. Mas quando chega a hora de elaborar o Sped (Sistema Público de Escrituração Digital), as complicações se apresentam. Isso porque é preciso desenvolver a contabilidade na construtora, de modo a não deixar a finalização dos livros contábeis para a última hora.

A contabilidade consultiva pode ajudar a estabelecer prioridades dentro da construtora. O gestor não precisa tomar decisões sobre a consolidação das despesas, o acompanhamento do orçamento, apuração mensal de impostos, sem nenhum apoio.

E nunca se esqueça de que alguns ex-funcionários podem continuar fazendo parte de um quadro muito específico. O do passivo trabalhista. Mas a contabilidade consultiva ajuda a lidar com ele, garantindo que a construtora mantenha um rígido controle financeiro.

 

#4 Elabore e apresente demonstrativos

No quarto passo, é preciso pensar em aferir e mostrar resultados. E eles nem sempre são financeiros. Os seus resultados contábeis, principalmente no início de cada obra, serão muito mais vistosos.

Neste ponto, a contabilidade na construção civil pressupõe a criação de um relatório sobre o previsto e o realizado em cada obra. Sem esse controle a construtora PME pode ser conduzida a uma margem de erro maior. Isso porque a tendência é de que uma obra ajude a suprir o buraco financeiro da outra, dificultando a visão de todas as finanças. O que confunde a construtora no momento de saber se está ganhando ou perdendo dinheiro com determinado projeto!

 

#5 Libere CND e Habite-se

Ter tranquilidade nesse processo de finalização de cada obra garante lucro certo na fase em que a construtora mais ganha: a entrega. Para isso, ter a escrituração contábil e fazer os recolhimentos corretamente é primordial. O sucesso aqui começa desde o primeiro passo.

A contabilidade consultiva pode ajudar a garantir que a sua construtora não precise corrigir os erros de percurso neste ponto avançado da obra. Afinal, deixar de pagar uma simples alíquota mensal, pode embargar a obra. O que significa não vender ou ver a construtora pega de surpresa, sem dinheiro em caixa para cobrir o débito naquele momento. Eis uma situação xeque-mate da contabilidade na construtora!

Mas a metodologia certa evita que a contabilidade na construtora se transforme em um problema. A contabilidade consultiva leva a resultados melhores. Já que o segredo das grandes empresas do ramo da construção é não ter surpresas financeiras e contábeis no meio do percurso. Se estiver com dúvida ou quiser aplicar essa metodologia, fale com a NTW mais próxima!

 

jose-m

2018-12-28T16:52:54+00:00Por |

Sobre o Autor: