Como profissionais da área de saúde podem pagar menos impostos

Como profissionais da área de saúde podem pagar menos impostos

Médicos e profissionais da área de saúde em geral têm uma vida atribulada e organizar as finanças fica bastante complicado. Estes profissionais, que muitas vezes também são empreendedores, precisam conciliar a prioridade de tratar da saúde, bem estar e qualidade de vida dos seus pacientes e de estar em dia com as obrigações fiscais e tributárias. Esta não é tarefa das mais fáceis, já que todo empreendedor brasileiro, seja de que segmento for, tem que lidar com a burocracia e a carga de impostos do país, que é a mais alta da América Latina e uma das maiores do mundo, de acordo com estudo da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico).

Frente a este cenário, uma das grandes preocupações do médico é pagar menos impostos sem correr riscos com a fiscalização. Mas como fazer isso? A NTW Contabilidade e Gestão Empresarial – com unidades em todas as regiões do país -, dá algumas dicas para que os profissionais da área de saúde não tenham problemas com o Fisco. Confira:

Pessoa Física ou Pessoa Jurídica? Eis a questão

Para aqueles que continuam atuando apenas como Pessoa Física, a sugestão é manter um livro caixa bem organizado, pois é muito comum cair na malha fina por pequenas diferenças de valor. O livro caixa, caso seja feito no programa do governo (Carnê-Leão), em muitos casos reduz o imposto a pagar.  Além disso, permite saber o que pode e o que não pode ser deduzido, gerando segurança nas informações.

Mas para rendimentos acima de R$ 10 mil já compensa instituir uma Pessoa Jurídica. Neste caso, um cuidado ao fazer o livro caixa é certificar-se de que todas as despesas são comprovadas. E não deverão ser lançadas as mesmas despesas para a Pessoa Física e para a Pessoa Jurídica. Ao adotar uma Pessoa Jurídica, a sugestão é contar com uma consultoria de contabilidade para análise de planejamento tributário de acordo com cada caso.

Normalmente, o regime tributário mais indicado é o lucro presumido, passando de 27,5% para 15% de contribuição, bem mais baixo que o Imposto de Renda. Neste caso, se o faturamento médio for de R$ 10 mil, a economia poderá chegar à R$ 15 mil por ano. O que diferencia cada caso é que os profissionais da área de saúde não têm um padrão de receitas. Depende muito do perfil: alguns atuam ou têm consultórios ou clínicas particulares, outros só trabalham em hospitais, outros ainda, atendem em ambos os casos. Por isso, contar com uma contabilidade consultiva é uma boa maneira de pagar menos impostos sem correr riscos com o Fisco.

Importante: Está previsto que no novo SIMPLES Nacional, a ser lançado em janeiro de 2018, a alíquota será reduzida para 6%. A NTW alerta para ter muito cuidado com essa informação: essa será a tributação para contribuintes PJ com rendimentos até R$ 15 mil/mês. No entanto, será preciso declarar uma despesa com funcionários de aproximadamente um terço destes rendimentos, ou seja, gastos de R$ 5 mil com salários e benefícios. Então, dependendo do seu caso, o lucro presumido ainda pode ser o melhor regime tributário. Informe-se!

 

Declaração X Rendimentos

Médicos e profissionais da área de saúde que optarem por atuar como empresa conseguem também uma defesa do patrimônio, pois podem declarar alguns bens como Pessoa Jurídica, não sobrecarregando a sua Pessoa Física na hora de tributar. Cerca de 50% destes profissionais apresentam receita menor do que as despesas e isso está cada vez mais fácil de ser comprovado pelo Fisco. Exemplos de situações que caem muito na malha fina: é feito o cruzamento de dados dos gastos de cartão de crédito PF, quando não apresenta uma receita suficiente. É o mesmo caso de aumento de patrimônio que seja incompatível com a receita, ou seja, o rendimento anual (rendimentos tributados e isentos) deve superar o aumento de patrimônio.

O profissional de saúde cada vez mais visado pelo Fisco

O principal alerta que se faz é com relação ao cruzamento de dados que já vem sendo feito pela Receita Federal do Brasil e com ótimos resultados para o Fisco.

O processo de fiscalização está cada vez mais eficiente e tem como objetivo reduzir informações distorcidas apresentadas pelos contribuintes na Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física. Dessa forma, o Fisco busca combater a apresentação de recibos falsos e inibir práticas como declaração do valor da consulta e do reembolsado pelo plano como despesas médicas, pois apenas a diferença entre eles é dedutível para fins do Imposto de Renda.

Com você pode ver, o Fisco cada vez mais direciona seu foco sobre médicos e profissionais da área da saúde. Esses profissionais são altamente visados porque, muitas vezes, o valor recolhido é maior do que o declarado. Mesmo com as crescentes exigências de exatidão na declaração de rendimentos, é possível pagar menos impostos sem correr riscos de cair na malha fina. Procure contar com o apoio técnico capacitado para a elaboração destes documentos e demonstrativos:

  • Comprovação de renda;
  • Acompanhamento tributário para redução de impostos;
  • Cumprimento das obrigações fiscais e tributárias;
  • Segurança e controle das informações enviadas à Receita Federal.

Conte com os serviços e a expertise no segmento de saúde da Rede NTW Contabilidade e Gestão Empresarial. Teremos prazer em atender você.

 

Coordenado por:

Leonardo Furtado – Diretor Executivo da Unidade NTW – Belo Horizonte Zona Sul

2018-12-28T14:14:22+00:00Por |

Sobre o Autor: