Sou isento: vale a pena declarar o Imposto de Renda?

Sou isento: vale a pena declarar o Imposto de Renda?

Quando vai chegando a época da declaração de imposto de renda, muita gente apenas se preocupa se será obrigada a enviar a declaração para a Receita Federal. Para 2016, considerando o ano-base 2015, quem recebeu rendimentos tributáveis totais que superam R$22.499,13 está obrigado a declarar o IR. Mas como a Receita Federal dá o desconto simplificado de 20%, na prática, quem ganha até R$28.123,91 também não teria obrigação de enviar a declaração. Pelo menos, é isso que a mídia mais divulga. Nós vamos ver agora que isso não é necessariamente uma verdade absoluta.

Quem não é obrigado a declarar?

Além dos rendimentos apresentados no parágrafo anterior, há outros critérios que obrigam os contribuintes a enviar a declaração. Se você não obteve rendimentos isentos, tais como saques FGTS, rendimentos de caderneta de poupança ou herança em valores superiores a R$40 mil, você continua isento.

Outra situação muito comum que pode obrigar um contribuinte a enviar a declaração, mesmo sem ter trabalhado ou ter obtido rendimentos isentos é a quantidade de bens. Se o total de bens ao fim de 2015 foi inferior a R$300 mil, você continua isento. Também se você não operou em bolsa de valores, a isenção continua. Os outros critérios estão ligados à atividade ou a ganhos de capital na venda de terrenos, por exemplo.

Quando é vantajoso enviar mesmo sendo isento?

Se, por exemplo, você ganhou um salário mensal de R$2 mil durante todo o ano, você teve o rendimento total de R$24 mil e estaria isento de enviar a declaração. Só que em dezembro, por causa do décimo terceiro salário e no seu mês de férias, pelo adicional de férias, você pode ter valores retidos na fonte.

Isso ocorre porque exclusivamente naqueles meses, você pode ter ultrapassado o limite de isenção mensal e a sua empresa é obrigada reter estes valores. Sendo assim, quando chegar a hora de realizar o ajuste anual, o seu saldo a pagar seria zero, mas você tem alguns valores retidos nos cofres públicos.

Por que exercer este direito?

Esses valores são seus e, como você não tem saldo a pagar, pois está abaixo do limite de isenção, tem todo o direito de recuperar integralmente estes valores. É possível recuperar qualquer valor e a Receita Federal não cobra nada para transferir os valores diretamente para a sua conta corrente.

Não se esqueça de preencher a sua declaração de maneira integral, ou seja, se você possui um imóvel de R$100 mil e um veículo de R$30 mil, ambos devem ser declarados. Assim como seus saldos bancários, desde que superem R$140 no fim do ano. Não adianta enviar apenas os dados que o seu empregador te repassa no comprovante de rendimentos.

Já imaginou se você não declara agora seu imóvel, por exemplo, e em 2 anos você passa a ser obrigado a declarar o imposto de renda. Naquele momento, você vai declarar seu imóvel e ainda corre o risco da sua declaração ficar retida por incompatibilidade de renda e bens, pois a Receita Federal pode supor que você omitiu o seu imóvel de maneira intencional, quando na verdade você apenas se esqueceu de informar na declaração.

O imposto de renda é algo importante para todos os cidadãos, pois é o momento de prestar as contas com a Receita Federal sobre a sua vida financeira e também a de sua família. Se você ainda estiver com dúvidas, assine nossa newsletter e baixe o nosso e-book Guia Completo do IR 2016 e fique muito bem informado!

2018-12-28T15:39:24+00:00Por |

Sobre o Autor: