8 perguntas que donos de supermercados deveriam fazer aos contadores

8 perguntas que donos de supermercados deveriam fazer aos contadores

No post Mercados de vizinhança: como manter seu negócio rentável foi visto que uma boa parte dos pequenos varejos de vizinhança ainda é formada por empreendedores de PMEs com administração familiar. E as grandes redes estão de olho neste mercado. Para poder competir, rentabilizar o negócio e ainda ficar em dia com o Fisco, os empreendedores precisam profissionalizar a gestão do seu supermercado ou mercearia.

Mas como iniciar esse processo de profissionalização? Quais as principais dúvidas e desafios? A resposta é: a contabilidade consultiva ou mais precisamente, a contabilidade para supermercados. Conte com o apoio especialista do seu contador, pois ninguém melhor do que esse profissional para orientá-lo em questões específicas do seu setor. Neste artigo, confira oito perguntas que você, como dono ou gestor de supermercados e mercearias deve fazer ao seu contador.

QUESTÕES TRIBUTÁRIAS

1- Como pagar menos imposto? (para compra e para venda)

Empresas enquadradas no Simples Nacional devem ter muita atenção aos produtos enquadrados em situações de substituição tributária, alíquotas reduzidas, isentas ou com tributação monofásica.  É o caso de bebidas frias, como cervejas e refrigerantes, em que não incidem PIS e Cofins da tabela do Simples

As receitas originadas na venda destes produtos devem ser segregadas na apuração do Simples Nacional, para que não sejam pagos tributos recolhidos anteriormente ou que não devam ser incluídos na base completa da apuração.

Já para as empresas enquadradas no regime geral, tanto Lucro Presumido ou Lucro Real, o mesmo cuidado citado acima deve ser tomado para a correta apropriação de créditos de ICMS, PIS e COFINS na compra. Neste tipo de apuração, a compra de produtos das empresas do Simples Nacional pode apresentar diferença no custo quando estas mercadorias não dão direito ao crédito.

2- É possível recuperar créditos passados?

Se o empreendedor de supermercados não observou as regras na época da apuração dos impostos, com a ajuda da contabilidade consultiva é possível fazer uma busca para reaver créditos passados. Isso é feito por meio de uma retificação dos valores declarados, dentro do próprio Simples Nacional, no período de cinco anos para trás.

QUESTÕES FISCAIS/FINANCEIRAS

3- Posso fazer promoções para valores pagos em dinheiro (diferenciação de preços)?

A partir de 27 de junho de 2017, passou a valer a lei que autoriza a diferenciação de preços para vendas realizadas em dinheiro, cartão de crédito e cartão de débito. A autorização teve origem no Projeto de Lei de Conversão 6/2017, decorrente da Medida Provisória 764/2016 aprovada pelo Senado. A lei autoriza diferenciação de preços mas não obriga que esta prática ocorra. Se o comerciante decidir aplicá-la,  está obrigado a informar, em local visível ao consumidor, os preços oferecidos em função do meio e do prazo de pagamento. Caso não o faça, há incorrência de multas.

De acordo com Fernando Campanaro, da NTW Porto Alegre, “se o empresário de supermercado colocar na ponta do lápis e considerar as taxas de cartão, o desconto em dinheiro ainda é maior do que o custo da operação de crédito”. Segundo o especialista da NTW, a possibilidade de desconto em dinheiro só vale para dar mais uma opção e fidelizar o cliente. Mas do ponto de vista financeiro, não é tão vantajoso.

4- Quando a antecipação de recebíveis é um bom negócio?

A antecipação de recebíveis é uma operação financeira legítima que pode ajudar a manter as contas do seu supermercado em dia. Pode ser um recurso bem vindo quando sua empresa necessita de capital para não deixar passar a compra de itens com maior saída e nos quais o fornecedor fez um preço maior que a taxa de antecipação, por exemplo.

Porém, a antecipação de recebíveis somente é um bom negócio quando estes valores forem utilizados em operações onde o custo de utilização do recurso for superior às taxas cobradas para a operação. Por exemplo, quando os descontos para compra à vista forem superiores ao custo de antecipação dos recebíveis, ou mesmo a quitação de dívidas onde os juros forem maiores. Por meio da contabilidade consultiva o empreendedor terá o apoio para analisar cada caso e tomar a decisão mais acertada.

5- Onde posso captar recursos (agentes financeiros)?

Os bancos costumam ofertar linhas de crédito conforme o faturamento de empresas clientes. A correta apuração das receitas e resultados da empresa permite às instituições bancárias avaliar o limite dos valores que podem ser liberados e a capacidade de pagamento. Isso somente é possível com a atuação da contabilidade consultiva na elaboração de demonstrações contábeis que forneçam segurança na avaliação dos riscos da operação. O que permite também a obtenção de melhores taxas e consequente diminuição dos custos deste capital.

6- E como estar apto às melhores linhas de crédito?

Com a atuação da contabilidade consultiva é possível identificar oportunidades de linhas de crédito, incluindo elaboração de projetos técnicos, econômicos e financeiros para captação de recursos dos órgãos financiadores. A correta elaboração de projeto para obtenção de recursos depende de informações fornecidas pela contabilidade. A consistência destas informações é fruto do trabalho da contabilidade para supermercados, com base nos dados que a empresa fornece. Quanto mais organizada for a relação de envio/recebimento destas informações, maior a capacidade de o projeto representar de forma cristalina a aplicação dos recursos e condições de pagamento.

QUESTÕES TRABALHISTAS

7- Qual a melhor forma de gerenciar a folha de pagamento? (terceirização da folha)

Cabe também à contabilidade para supermercados, elaborar de forma correta a folha de pagamentos e isto somente será possível com a obtenção de todos os dados de horas extras, faltas, comissões e tudo o que possa integrar a remuneração do trabalhador. Muitos esforços para a mobilização de uma equipe podem ser perdidos por conta de erros nos valores na folha de pagamento.

8- Como a contabilidade pode auxiliar na gestão de pessoal?

O trabalho da contabilidade para supermercados deve ter  início desde a contratação do funcionário. Orientando o empreendedor na realização de um processo de admissão completo, antes do início das atividades do contratado. Com isso, além de evitar a necessidade de saídas para obtenção de documentos e realização de exames, previne multas e sanções das autoridades.

É preciso ainda reforçar que o e-Social já está em vigor. Os valores da multas serão altos para quem não estiver de acordo com a nova legislação. O que força a organização dos processos para o cumprimento das novas exigências. E tanto o e-Social quanto a nova legislação trabalhista podem impactar na gestão de pessoal. Para estar em dia com as novas regras, os empregadores de supermercados e mercearias podem contar também com a contabilidade consultiva.

Meça qual o nível da organização contábil do seu supermercado ou mercearia acessando o quiz que a NTW preparou para você.

Conclusão

O apoio especializado da contabilidade para supermercados tem o objetivo de agregar valor ao negócio e eliminar riscos. Com tantas mudanças e novas exigências na legislação, fica quase impossível para o empreendedor de supermercados e mercearias fazer a correta gestão do seu negócio sem a atuação de uma contabilidade consultiva. Conte com a orientação correta e precisa e a padronização de procedimentos que só a NTW Contabilidade e Gestão Empresarial pode proporcionar.

Encontre a unidade NTW mais próxima e confira os diferenciais da maior e melhor franquia de contabilidade do país.


Artigo coordenado por:

Fernando Campanaro e Paulo Pereira – NTW Porto Alegre

Sobre o Autor: