Como lucrar mais em 2018? Veja de que forma a contabilidade consultiva pode ajudar seu negócio.

Como lucrar mais em 2018? Veja de que forma a contabilidade consultiva pode ajudar seu negócio.

O que dizer do ano de 2017? Foi um ano de retomada de fôlego e fortalecimento. Os números da economia já são mais positivos e trazem mais otimismo para trabalhadores e empreendedores. O consumo voltou a crescer. Com o otimismo alimentado, quais são as previsões para 2018?

Dificilmente você conseguirá responder a esta pergunta se ainda não planejou a gestão de seu negócio para este ano. Fevereiro e março de 2018 são meses cruciais para a empresa ficar em dia e deixar 2017 e o final da crise para trás. Então, não espere passar o carnaval, pode colocar no seu planejamento a contabilidade consultiva como prioridade.

Afinal, você quer ou não entrar com tudo na retomada do crescimento?

Vários índices apontam que 2018 será um ano melhor. Mas antes de pensar diretamente no futuro, entenda como é possível acreditar em um cenário melhor.

Segundo dados do IBC-Br e IBGE, nos primeiros sete meses de 2017 o varejo obteve cinco altas, comparadas a apenas quatro em todo o ano passado.  A previsão de inflação de 2017 recuou, em outubro, de 2,97% para 2,95%. Já a expectativa para o Produto Interno Bruno (PIB) subiu de 0,68% para 0,70%.

Diante desse cenário, 2018 promete ser melhor. Segundo dados do Boletim Focus, deste mês de janeiro, a projeção para os preços no próximo ano caiu novamente, a nova previsão é de 3,78%.

Nesse contexto, os gestores de pequenas e médias empresas (PMEs) podem se preparar para um 2018 promissor. É hora de avaliar as possibilidades e analisar as mais viáveis para execução no ano que está por vir.

#O que esperar de 2018?

É fato que a inflação e a expansão da economia é o que motiva profissionais e gestores a se prepararem para uma nova onda de crescimento que começa a se desenhar este ano.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou em 0,37% em outubro e acumula alta de 1,62% no ano: a menor variação acumulada para o período desde a implantação do Plano Real. Aos poucos, as pessoas começam a conquistar novamente o poder de consumo, sem sentir tanto no bolso.

Para as PMEs, o registro do INPC como um dos menores dos últimos tempos  indica que os clientes já estão a postos com mais interesse, segurança e, muitas vezes, renda. Afinal, o desemprego no país recuou para 12,4% no terceiro trimestre de 2017.

Ao fim de setembro, já havia 524 mil pessoas a menos na fila do emprego. E a renda não vem somente da carteira assinada: o número de empreendedores em atividade também tem feito a economia girar. No mesmo mês, o país registrava 22,9 milhões de empreendedores individuais, uma alta de 1,8%: mais 402 mil pessoas trabalhando por conta conta própria em relação ao trimestre anterior.

Ainda quanto ao emprego, a previsão dos economistas é de um aumento das vagas no mercado formal para 2018, o que foi pouco sentido em 2017.

Mas não basta o cenário ser favorável. É preciso que o pequeno empreendedor saiba fazer um bom gerenciamento do seu negócio, de maneira analítica e estratégica. Por isso, é fundamental contar com a ajuda de especialistas. O contador é o profissional que pode auxiliar o gestor na identificação de novas oportunidades e na expansão do negócio.

#Empresa fortalecida em um contexto favorável

Conectado ao ritmo de retomada de crescimento da economia, o pequeno empreendedor tem o desafio de fazer uma gestão de excelência, com processos bem definidos e controle das finanças e dos resultados. Com o serviço de contabilidade consultiva, o gestor ganha condições de gerar e acompanhar os indicadores de desempenho e controle e, assim, fazer uma gestão precisa. O contador ainda pode ajudar em outros aspectos, como adequação de custos e despesas fixas, no ciclo financeiro e na gestão de estoques.

Mas é preciso planejar, e não somente esperar que aconteça. Mas não podemos esquecer que este ano temos eleições, e eleição sempre traz um elemento de imprevisibilidade. Lembra 2014?

#Planejar para entrar na onda do crescimento

A nível global, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) estima um crescimento da economia de 3,6% em 2017, com previsão de chegar a 3,7% em 2018 e atingir o pico dos últimos oito anos. Os dados atualizados foram publicados em matéria na revista Exame, em novembro.

Já para o Brasil, a OCDE prevê um crescimento de 0,7% neste ano, 0,1 ponto percentual acima do previsto. Em 2018, a economia brasileira deve expandir 1,9%, em relação à previsão anterior de 1,6%, chegando a 2,3% em 2019.

Em um cenário como esse, o pequeno empreendedor precisa se preparar para aproveitar a onda de crescimento. É preciso considerar as previsões de 2018 para focar em um planejamento bem elaborado e viável, que realmente avalie seu negócio no contexto atual para a partir daí planejar o futuro. É preciso saber responder a algumas perguntas tipo: com quanto cada produto ou serviço contribui para o resultado de seu negócio?; qual sua margem de lucro média e quais produtos estão corroendo seu resultado?; qual o tempo médio de rotatividade do seu estoque para cada tipo de produto e se este estoque está ou não está comprometendo seu fluxo de caixa. É em momentos como estes que o contador pode ajudar o empreendedor.

Diante de tantos desafios e tarefas, o empreendedor economiza tempo e dinheiro com a contabilidade consultiva, porque pode focar sua atenção nas atividades que ele realmente domina e deixar a cargo do contador aquelas específicas como, por exemplo, as questões tributárias, que exigem mais conhecimento técnico.

De olho nas previsões de 2018 e, também, nas estratégias de gestão, o pequeno empreendedor pode fazer um planejamento coerente com o seu potencial e, acima de tudo, executá-lo de acordo com o porte da empresa cumprindo as suas obrigações fiscais, sem prejudicar o orçamento. A contabilidade consultiva permite à PME ir mais longe e crescer constantemente.

 rodape-artigos

Sobre o Autor: